Project Description

O coLABoratorio é um programa internacional de residências artísticas em dança contemporânea realizado pelo Panorama desde 2006 em diferentes formatos. Em sua terceira edição, reafirma seu objetivo de estimular a criação colaborativa e o intercâmbio cultural entre artistas nacionais e estrangeiros.

Em 2013, o coLABoratorio se junta ao projeto Tardes no Parque, que há três anos ocupa a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV). Lá, serão apresentados os resultados cênicos das pesquisas desenvolvidas durante a residência.

Esta edição reúne seis artistas ibero-americanos numa imersão de pesquisa em dramaturgia com o tema “a dramaturgia enquanto elemento diferenciador de criação e aproximação de públicos”. A meta é pesquisar estratégias de fidelização de públicos a partir da importância da dramaturgia na criação da dança contemporânea.

Os artistas selecionados trabalharam com três orientadores – os coreógrafos Alejandro Ahmed (SC), Jorge Lopes Ramos (RJ) e Marcelo Evelin (PI) – no Centro Popular de Conspiração Gargarullo, em Miguel Pereira (RJ), de 14 a 27 de outubro. Selecionados por meio de convocatórias, os participantes preencheram dois requisitos básicos: motivação para trabalhar em grupo e disponibilidade coerente com os objetivos do encontro.

O coLABoratorio tem apoio do Iberescena (Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-Americanas) e colaboração da Associação Ponto de Cultura Espaço Panorama e Centro Popular de Conspiração Gargarullo.

Os selecionados para o coLABoratorio 2013:

Aimé Pansera - MELENA em altaAimé Pansera (Argentina)

Aimé Pansera nasceu em 1986, em Buenos Aires, Argentina. Estudou artes cênicas na França e na Espanha e aí desenvolveu seus primeiros trabalhos. Faz parte do coletivo Melena e colabora como assistente, dramaturga e produtora com outros artistas. Tem doutorado em artes cênicas pela Université de Paris III – Sorbonne Nouvelle. Em 2008 foi morar em Barcelona, na Espanha, onde teve contato mais intenso com a dança contemporânea. Lá, fez aulas com Roger Bernat e Rosa Muñoz, entre outros. Dirigiu seu primeiro espetáculo de teatro e dança, Proyecto B, em 2009. Em 2011, foi artista residente em La Caldera e em tragantDansa, em Barcelona. Nesse mesmo ano nasceu o coletivo Melena.

http://melenacolectiva.wix.com/inicio

Pepe Cocinero (C) Agustin PilarteJoseph Patricio (Filipinas/Espanha)

Joseph Patricio, o Pepe, é filipino e vive na Espanha. Busca, com suas performances, formas criativas de se relacionar com o outro, concebendo situações para que o público participe do resultado final do trabalho. Atualmente, desenvolve o projeto Es cena / Food left, cuja proposta é levar uma cozinha para espaços alternativos e ali fazer comida com o que estiver ao alcance. Ao longo de 2013, participou de residências em Berlim, na Alemanha, e Astúrias, na Espanha.

http://cargocollective.com/josephpatricio/about

 

Lander_PatrickLander Patrick (Brasil)

Lander Patrick é brasileiro e vive em Portugal há muitos anos. Em 2011, formou-se na Escola Superior de Dança e logo depois entrou para o programa Erasmus na ArtEZ voor den Kunsten, na Holanda. Com o solo Noodles never break when boiled, foi selecionado para a 1º Andar – Mostra de Criadores Emergentes 2012, em Castelo Branco, Portugal. Além do trabalho autoral, Lander colabora como criador e performer com artistas independentes em Portugal e em outros países da Europa. Trabalha atualmente no projeto You can blow it when you want.

 

 

 

Maria José Cifuentes (Chile)

María José Cifuentes é chilena. Faz doutorado em história e em artes e humanidades, desenvolvendo a pesquisa Teatralidad doméstica: la historia de la casa como espacio de resistencia y disidencia del arte. Realiza trabalhos de docência e pesquisa na área de artes cênicas desde 2006. É autora do livro História social de la danza en Chile: visiones, escuelas y discursos, 1940-1990 e coautora de Danza independiente en Chile: reconstrucción de una escena, 1990-2000. É pesquisadora do Centro de Investigación y Memoria de las Artes Escénicas – CIM/Ae (Chile) e do ARTEA – Creación y Investigación Escénica (Espanha). Desde 2011 dirige, junto com Simón Pérez e Jorge Tieffenberg, o Festival Escena Doméstica, no Chile, cuja proposta é levar performances de artistas para dentro da casa das pessoas.

http://escenadomestica.wordpress.com/

http://cimartesescenicas.wordpress.com/56-2/

Tamia GuayasaminTamia Guayasamin (Equador)

Tamia Guayasamin nasceu e vive no Equador. É coreógrafa, performer e produtora independente. Em 2008, foi premiada pelo Ministério da Cultura equatoriano pela obra En el principio, com a qual circulou pelo Equador e veio ao Brasil. Em 2011, integrou o projeto STILL_MÓVIL, para o qual criou Animal que muta, em colaboração com Manuel Vason. Desde 2009 codirige o Festival Internacional Videodanza Ecuador e co-organiza o encontro Diálogos con la Danza. É membro da Red Sudamericana de Danza e já participou de projetos de residência artística em diversos países, inclusive o Brasil.

Ines_VolmirVolmir Cordeiro (Brasil)

Nascido em Santa Catarina (Brasil), Volmir Cordeiro é graduado em teatro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em dança, criação e performance pela Universidade Paris 8 e pelo Centre National de Danse Contemporaine d’Angers (França). Desde 2004 dedica-se à criação em dança contemporânea. Foi contemplado com o Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2007 para a criação, direção e interpretação de Hipo-teses para o corpo ou como se agarra o mundo com uma mordida. Em 2012 estreou seu primeiro solo, Céu, desenvolvido no Centre National de Danse Contemporaine de Angers. Integrou as companhias de Alejandro Ahmed e Lia Rodrigues. Atualmente, trabalha com Laurent Pichaud, Loic Touzé e Anne Kerzehro e Xavier Le Roy, além de ser intérprete da coreógrafa Emmanuelle Huynh.

 

Os orientadores:

alejandro_ahmedAlejandro Ahmed (SC)

Coreógrafo residente, diretor artístico e bailarino do Grupo Cena 11 Cia. de Dança. Seu trabalho como coreógrafo surgiu de forma autodidata, respondendo à necessidade que possuía de integrar a maneira como pensava o mundo e a dança que experimentava. Com o Cena 11, desenvolveu uma técnica – nomeada de “percepção física” – que produz uma dança em função do corpo que é um dos alicerces de seu trabalho. Seu olhar sempre esteve voltado para os limites do corpo e as possibilidades que este propõe para a transformação do “outro”, seja um espectador, seja um cúmplice da ação a que o corpo é submetido.

 

 

 

jorge lopes ramosJorge Lopes Ramos (RJ)

Residente no Reino Unido desde 2000, foi diretor artístico e executivo da companhia Zecora URA, entre 2001 e 2012. Hoje é diretor artístico adjunto da organização, que promove residências artísticas no Brasil e na Inglaterra. Com a Zecora URA, ganhou prêmios e indicações como diretor de eventos interativos de teatro. Projeto mais aclamado de Jorge, Hotel Medea ganhou quatro temporadas em Londres e tornou-se o único destaque do Edinburgh Fringe 2011, recebendo elogios de veículos especializados. Já liderou equipes de 50 pessoas de diferentes culturas e disciplinas. É o atual diretor artístico do Centro Popular de Conspiração Gargarullo.

 

marcelo evelim IMG_0617Marcelo Evelin (PI)

Coreógrafo, pesquisador e performer. Mora na Europa desde 1986, onde trabalha com dança e teatro físico com profissionais de diversas nacionalidades, trajetórias e linguagens (música, videoinstalação e performance). Fundou e coordena desde 2006 o Núcleo do Dirceu, em Teresina (PI), parceiro do coLABoratorio em 2010. É criador residente do Hetveem Theater, em Amsterdã, com sua Companhia Demolition Inc., e ensina improvisação e composição na Escola de Mímica de Amsterdã. É um dos nomes de frente da dança, performance e atuação política nas artes contemporâneas.