Panorama Festival 2015 | Vera Mantero
15724
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-15724,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

About This Project

O que podemos dizer do Pierre

No solo O que podemos dizer do Pierre, Vera Mantero improvisa ao som de uma aula do filósofo francês Gilles Deleuze sobre o filósofo holandês Espinoza. Vera captura a potência da voz e do texto de Deleuze em uma de suas peças mais simples e emocionantes.

Uma das mais renomadas coreógrafas da atualidade, Vera Mantero iniciou a carreira como coreógrafa em 1987. Tendo integrado o Ballet Gulbenkian, a mais importante companhia de Portugal do século XX, Vera rompeu com os padrões da dança moderna por meio da Nova Dança Portuguesa, da qual foi uma das protagonistas. Em 1999 fundou O Rumo do Fumo, associação de artistas independentes para criação, produção, difusão e pesquisa de dança. Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz, cantando repertórios de autores diversos e cocriando projetos de música experimental.

A trilha sonora é em francês, mas o espectador receberá uma versão em português do texto.

Concepção e interpretação: Vera Mantero
Trilha sonora:
Gilles Deleuze (excertos de Spinosa: immortalité et éternité)Montagem trilha sonora:
Vera Mantero com Vítor Rua
e António Duarte
Produção executiva:
O Rumo do Fumo
Coprodução: Festival Escena Contemporánea ’11, Madri
O Rumo do Fumo é uma estrutura apoiada pelo Governo de Portugal – Secretário de Estado da Cultura/Direção-Geral das Artes.
Apoio de turnê: Direção Geral
das Artes (DGArtes) – Portugal

Foto: © Susana Neves

Vera Mantero (Portugal)

EAV Parque Lage – Jardim
31 out
19h
1º nov
18h40
Livre
20 min
Entrada Franca
www.orumodofumo.com

Category
internacional
Tags
internacional