Seminário Panorama.tec – Corpos e interfaces

Mesa: Corpos programados, softwares e outras interfaces coreográficas
Horário: 10h às 13h
Palestrantes confirmados: Christine Greiner e Alejandro Ahmed

 

Christine Greiner é professora na pós-graduação em Comunicação e Semiótica e no curso de Artes do Corpo da PUC-SP. É autora dos livros  Fabulações do corpo japonês (2017) e Leituras do corpo no Japão (2015), entre outros. Foi professora e pesquisadora visitante em diversas instituições no Japão, nos Estados Unidos e na França. Atualmente pesquisa a potência dos microativismos na arte e os modos singulares de lidar com alteridade. Desde os anos 1990, constrói, em parceria com Helena Katz, a teoria corpomídia.

 

 

 

 

 

 

 

Alejandro Ahmed é coreógrafo, diretor artístico, e bailarino do Grupo Cena 11 Cia. de Dança. Seu trabalho como coreógrafo surgiu de forma autodidata, respondendo à necessidade que possuía de integrar a maneira como pensava o mundo e a dança que experimentava. Junto ao Cena 11, promoveu o desenvolvimento de uma técnica que objetiva produzir uma dança em função do corpo. Um corpo capaz de processar melhor as ideias contidas na movimentação. Esta técnica foi nomeada de “percepção física” e é um dos pontos que estrutura o trabalho de Alejandro Ahmed. Seu olhar sempre esteve voltado para os limites do corpo e as possibilidades que este propõe para a transformação do corpo do outro, sendo este “outro” um espectador e/ou um cúmplice da ação a que o corpo é submetido.

As investigações atuais estão situadas em novas definições para o conceito de coreografia. Termos como situação coreográfica, coreografia imaterial e dança generativa nomeiam os campos de interesse aos quais Alejandro Ahmed objetiva atualmente seus procedimentos junto ao Grupo Cena 11 e como performer. As suas novas proposições teórico-práticas estabelecem a tríade correlacional EMERGÊNCIA-COERÊNCIA-RITUAL como guia de suas ações.

 

 

Mesa: Robôs, artistas e hibridismos
Horário: 14h às 17h
Palestrantes confirmados: Ivani Santanna e Ney Robinson

 

Profª. Drª. Ivani Santanna pesquisa dança mediada pelas novas tecnologias desde a década de 90. Pioneira no país em pesquisas de dança utilizando as redes acadêmicas de telecomunicação, contando com mais de 10 projetos de Arte em Rede com diversas parcerias de âmbito mundial. Realizou pós-doutorado no Sonic Arts Research Center (Reino Unido), com a pesquisa Dramaturgias do corpo (tele)sonoro. Atualmente pesquisa a relação dança-cognição-tecnologia através do Laboratório DCT. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Poéticas Tecnológicas: corpoaudiovisual, através do qual tem fomentando processos experimentais para novas configurações em dança digital. Vice-coordenadora do Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas e professora do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (UFBA). Bolsista Produtividade em Pesquisa PQ Nível 1 D.  Autora dos livros: Corpo Aberto: Cunningham, dança e as novas tecnologias (2002) e Dança na Cultura Digital (2006). Editora-chefe da Revista Repertório (PPGAC/UFBA).

 

 

 

Ney Robinson Salvi dos Reis, brasileiro, natural de Juiz de Fora-MG, tem graduação em engenharia mecânica e de produção, com mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade da Amazônia, pela UFAM-Universidade Federal do Amazonas, bem como doutorado defendido junto à UFF- Universidade Federal Fluminense. Seu trabalho tem como eixo principal a Robótica e sistemas tele operados voltados ao atendimento de necessidades e suporte às atividades operacionais da indústria do petróleo em projetos desenvolvidos especialmente para se locomover e operar em locais inóspitos onde é proibitiva a presença humana, seja em águas profundas ou no interior da floresta Amazônica. O inusitado de determinadas situações de tais cenários traz oportunidades únicas de inovação e soluções “fora da caixa” que são desenvolvidos a partir dos estudos em robótica, mecatrônica, ergonomia e temas ligados à área da biologia. Tem grande interesse em temas transversos e disciplinas mais lúdicas tais como a Biomimética e Artes Plásticas e Origamis de onde também busca ensinamentos e inspiração para desenvolvimento de seus projetos. Acredita no Brasil e nos Brasileiros!

20 de janeiro

Museu de Arte do Rio – MAR (Auditório)

10h às 17h

Livre

Entrada Franca

Credenciamento a partir das 09h30 na recepção do Museu.