O Circuito Brasileiro dos Festivais Internacionais de Dança é formado atualmente por quatro festivais: o Festival Panorama (RJ), a Bienal Internacional de Dança do Ceará (CE), o Cena CumpliCidades Festival Internacional de Dança (PE) e o FID – Fórum Internacional de Dança (MG).

São os quatro eventos de dança de grande repercussão nacional que ocorrem anualmente entre outubro e novembro, incentivando a circulação de companhias nacionais e estrangeiras, compartilhando programações, recursos e ideias.

O Circuito inclui quatro capitais brasileiras (duas no Nordeste e duas no Sudeste), e seus eventos – a maioria com mais de uma década de atuação contínua – têm o potencial de alcance direto de mais de 60 mil pessoas, com retorno extraordinário de mídia espontânea, utilização e ocupação de dezenas de teatros e espaços culturais, acesso gratuito e/ou a preços populares.

Quatro iniciativas muito diferentes em curadoria e realidades locais, mas que têm em comum o interesse pela experimentação de linguagem, o investimento em novos talentos, na formação de plateias e na cooperação igualitária entre brasileiros e estrangeiros em processos de criação artística.

O Circuito é regido por uma conduta ética que prevê, antes de tudo, respeito mútuo, responsabilidades compartilhadas e compromissos com a democratização do acesso e o fomento de novos artistas.

Numa área artística que se torna cada vez mais ampla, cheia de nuances e novas tecnologias, e ávida por conexões além-fronteiras (o Encontro Rede Funarte Ibero-Americana de Dança foi um exemplo disso), o Circuito se firma como uma iniciativa que fala diretamente aos formadores de opinião, aos jovens e a todos os interessados nas artes da dança e do corpo.

Os quatro festivais se uniram em 2006 para potencializar sua ação estrutural e política, e foi o Ministério da Cultura, através da Funarte, a primeira instância governamental a reconhecer a importância estratégica do Circuito para a difusão e o fomento da dança contemporânea brasileira.

Nos últimos anos, nossa bem-sucedida parceria resultou em maior programação nacional e internacional, atividades formativas e uma articulação constante entre as quatro capitais. Tem sido fundamental, financeira e politicamente, a continuidade do Circuito.

Demos um histórico passo, mas a realidade do Brasil de hoje vem nos impor a necessidade de um novo passo neste momento de transição, articulação e planejamento de ações e estratégias.